A mais encantadora, cheia de alegria, sempre buscada, eternamente só: A construção de Denna na Crônica do Matador do Rei

Texto por Arthur Maia Imagem por Rayane Molinario Introdução Da primeira vez que li A Crônica do Matador do Rei, me mantive longe dos debates a respeito do livro até que terminasse. Quando terminei The Wise Man Fear, fui correndo para os grupos de discussão, esperando encontrar as teorias mais aceitas, ver coisas que não … Continue lendo A mais encantadora, cheia de alegria, sempre buscada, eternamente só: A construção de Denna na Crônica do Matador do Rei

Anúncios

Desatando o Nó Meereense – Parte V: Paz e Hizdahr ou Guerra e Daario

Texto de Adam Feldman Tradução de Felipe Alencar Ilustração de Rai-mond Nas partes I-IV dessas dissertações, expus meus principais argumentos de que Martin planejou o plotline de Daenerys em ADwD deliberadamente para se focar na luta interna garota. Ela tenta se preocupar com as vidas inocentes, e teme liberar seus impulsos violentos. Eventualmente, ela se sacrifica para um … Continue lendo Desatando o Nó Meereense – Parte V: Paz e Hizdahr ou Guerra e Daario

Desatando o Nó Meereense – Parte IV: Aceitando a herança Targaryen

Texto de Adam Feldman Tradução de Felipe Alencar Ilustração de Jairo Victor Introdução Em ADwD, o drama do arco de Daenerys se resume ao conflito consigo mesma. Nos capítulos finais, esse conflito se resolve. Anteriormente no livro, motivada pelo medo de seus próprios impulsos violentos e em como isso poderia acarretar na perda de vidas … Continue lendo Desatando o Nó Meereense – Parte IV: Aceitando a herança Targaryen

Desatando o Nó Meereense – Parte III: O conflito interno de Daenerys

Texto de Adam Feldman Tradução de Felipe Alencar Ilustração de Enife Então, qual a razão da permanência temporária de Daenerys em Meereen? Muitos simplesmente rejeitam o arco, considerando-o um filler total, sem nenhum propósito real além de preencher os livros. Outros pensam que em Daenerys como um  personagem que “regrediu”, retornando a um estado de … Continue lendo Desatando o Nó Meereense – Parte III: O conflito interno de Daenerys

Desatando o Nó Meereense – Parte II: A paz era real

Texto de Adam Feldman Tradução de Felipe Alencar Arte de Stephen Najarian Muitos leitores não gostam de Meereen por causa dos esforços de Dany serem claramente frustrados, condenados e inúteis, terminando em falha. E sua reação é perfeitamente compreensível, porque é justamente isso que todos os personagens westerosi do livro acabam pensando, incluindo a própria … Continue lendo Desatando o Nó Meereense – Parte II: A paz era real

Desatando o Nó Meereense – Parte I: Quem Envenenou os Gafanhotos?

Texto de Adam Feldman Tradução de Felipe Alencar Ilustração por Alexandre Dainche Meereen. A mera menção da palavra deve ser o suficiente para fazer você gemer. Considerada a mais fraca, mais frustrante trama em ADwD, e talvez de toda a série. Acredita-se ser onde GRRM perdeu o plotline e desperdiçou capítulos intermináveis de fillers inúteis. As soluções parecem … Continue lendo Desatando o Nó Meereense – Parte I: Quem Envenenou os Gafanhotos?

Como se faz um herói: Os protagonistas de “O Nome do Vento” de Patrick Rothfuss e “O Aprendiz de Assassino” de Robin Hobb

Por Arthur Maia   Introdução A escrita deste artigo foi guiada por uma percepção inicial: enquanto lia “O Aprendiz de Assassino”, notei como Fitz era parecido com o protagonista de uma das minhas sagas favoritas, Kvothe da Crônica do Matador do Rei. Não significa que eles tenham a mesma personalidade, mas sim que ambos os … Continue lendo Como se faz um herói: Os protagonistas de “O Nome do Vento” de Patrick Rothfuss e “O Aprendiz de Assassino” de Robin Hobb

“O que é que há, pois, num nome?” A magia das palavras em A Crônica do Matador do Rei.

Por Rayane Molinario.   “– Nomes – disse Dal com firmeza e retirou a mão do fogo. Estava suja de cinzas esbranquiçadas, porém perfeitamente intacta. – Os nomes refletem a verdadeira compreensão de algo e, quando você realmente compreende uma coisa, exerce poder sobre ela. ” - Patrick Rothfuss, O Temor do Sábio. Quando iniciei … Continue lendo “O que é que há, pois, num nome?” A magia das palavras em A Crônica do Matador do Rei.

Pagando suas dívidas, Parte II: Dores, putas e jogos de cyvasse.

Introdução: Na primeira parte do livro "A DANÇA DOS DRAGÕES", Tyrion vai para alguns lugares muito escuros. Ele está obcecado com os seus próprios traumas e começa a pensar que todas as coisas boas estão perdidas para ele. Ele começa a tratar os outros com crueldade e a fantasiar sobre vingança – assim, começa a … Continue lendo Pagando suas dívidas, Parte II: Dores, putas e jogos de cyvasse.